Caminheiros / Companheiros » Albergue » Mística e Simbologia   Entrar :: English  ::  Contactos
 Pesquisar

   Mística e Simbologia


A Mística dos Caminheiros e Compa­nheiros consiste na busca da vida plena em Cristo, o mesmo é dizer, a vida no Ho­mem Novo.
 
A descoberta dos dons de Deus, com a progressiva aceitação da Aliança que Ele oferece ao Homem, permite encontrar um novo projecto de vida: a construção da Igreja dá Corpo a esse projecto, e a vida vivida com critérios cristãos, assumida com valores cris­tãos e alimentada em Cristo, exprime a vida desse mesmo Corpo. É esse o resumo do itinerário espiritual propos­to pelo conjunto das quatro etapas se­quenciais das secções.
 
Viver em Cristo é a meta de todo o Cristão.
Pelo baptismo, fomos já configurados com Cristo e feitos membros da Igreja mas, enquanto peregrinamos neste mun­do terrestre, experimentamos a dialéctica de uma vida no mundo, sem ser do mun­do. Isso acarreta dificuldades e exige um esforço de fidelidade ao querer de Deus. A correspondência à vontade divina é um caminho para toda a vida e, o chegar da partida de Caminheiro/Marinheiro re­presenta apenas o assumir consciente e maduro do rumo a seguir. Não significa, por isso, a conclusão do caminho, nem a inércia da meta alcançada.
 
Resumimos assim a Mística da quarta Secção:
A vida no Homem Novo: o Caminheiro vive cristãmente em todas as dimensões do seu ser.
O Caminheiro/Companheiro é chamado a viver integralmente em Cristo, o “Homem Novo”, assumindo um lugar activo na cons­trução dos “novos céus e da nova terra”.

Com a ênfase colocada na vida cristã, nas diversas dimensões que compõem o ser humano, pretende-se estimular para a incarnação plena do Evangelho de Je­sus Cristo, sem hiatos ou áreas excluí­das. Tudo o que é próprio do ser humano tem também a ver com o Evangelho e, por isso, toda a vida há-de ser moldada pela Palavra que dá vida e sacia para a eternidade.

É fundamental que a pedagogia da quarta Secção não deixe de dar um con­tributo novo para a formação dos jovens Caminheiros e Companheiros, pois es­tes estão ainda num processo educativo, apesar de possuírem já autonomia em di­ferentes áreas. Da qualidade da pedago­gia proposta nesta etapa, depende o bom sucesso de todo o itinerário escutista. No final deste percurso é que pode­remos perceber qual a mais valia que o escutismo oferece à sociedade e à Igreja.
 Imprimir   




© 2008 Copyright - Portal Oficial do Corpo Nacional de Escutas - Todos os direitos reservados.
Colaboradores - Avisos legais - Sugestões/Erros